Também não vale a pena fingir um equilíbrio que eu não tenho.


Caio Fernando Abreu.  (via n-o-v-o-h-e-r-o-i)

Alguém explica para ela que o tempo não tem a obrigação de fazer milagres, que o coração não tem culpa das escolhas erradas que já foram feitas, que ele pode não ligar depois de um beijo. Ora, menina, não foi por falta de quebrar a cara, e nem quero me gabar dizendo “eu bem que te avisei”, mas a vida é muito cruel para brincar tanto de “vou pagar para ver”, seus pés estão fixos no chão e presos a realidade, seu corpo está presente, traga seus pensamentos para o mundo em que as coisas não são fáceis, para um mundo em que não é proibido sonhar, mas que não nos permite viver de ilusões.


Fred Medeiros. (via manuscrever)

Pior tipo de ”amiga” é aquela que quando se junta com outra esquece que você existe.


Não se mate por aquilo que não te dá vida.


Eu me chamo Antônio.  (via autografia)

Ir ao cinema, conseguir um lugar central nas fileiras do fundo, não ter ninguém atrapalhando sua visão, nenhum celular tocando e o filme ser espetacular, uau! Cinema é melhor pra saúde do que pipoca! Conversa é melhor do que piada. Exercício é melhor do que cirurgia. Humor é melhor do que rancor. Amigos são melhores do que gente influente. Economia é melhor do que dívida. Pergunta é melhor do que dúvida. Sonhar é melhor do que nada.


Martha Medeiros.   (via rabiscador)

Muitas vezes basta ser: colo que acolhe, braço que envolve, palavra que conforta, silencio que respeita, alegria que contagia, lágrima que corre, olhar que acaricia, desejo que sacia, amor que promove. E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida.


Cora Coralina  (via desembarcou)

Bonito mesmo é se entregar sem ter medo de cair. É ir mesmo sabendo que um pouco mais na frente doa, é sorrir mesmo que a lágrima as vezes insista em cair. É colocar o barquinho no mar mesmo que o vento não seja favorável, é ancorar em lugar perigoso. É nadar, velejar, amar, sempre.


Restos de um naufrágio

Ninguém adivinha a sua tristeza e nem coroa o seu sucesso. Se você quiser um colo, peça. Se quiser aplausos, cative-os. Mas, se encontrar quem te dê colo sem pedir, não largue. Se ouvir um aplauso por simplesmente não desistir, agradeça. Nessa vida de ninguém, “ter a quem” virou ilusão.


Camila Costa.   

Ninguém adivinha a sua tristeza e nem coroa o seu sucesso. Se você quiser um colo, peça. Se quiser aplausos, cative-os. Mas, se encontrar quem te dê colo sem pedir, não largue. Se ouvir um aplauso por simplesmente não desistir, agradeça. Nessa vida de ninguém, “ter a quem” virou ilusão.


Camila Costa.   (via citografou)

O celular permanecerá desligado. Nunca descobriremos ao certo o que nos impediu, quem desistiu primeiro, quem não teve paciência de compreender.


Fabrício Carpinejar